sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Sálvia

Salvia officinalis(também conhecida como Salva )

É uma planta vivaz, subarbustiva
 e bastante ramificada.
 As folhas da Salva, de coloração verde acinzentada, são de inserção oposta, de superfície rugosa, possuem um pecíolo mais ou menos longo que as une ao caule. As flores encontram-se agrupadas em vértices dispostos de espigas terminais.Toda a planta exala um agradável odor característico.

A Salva na Cozinha:
Aplicações Culinárias:


Possui um sabor ligeiramente apimentado e amargo, mas agradável. Vai bem com carnes brancas, de ovelha, porco, coelho e pato, peixes gordos e lacticínios. É também utilizada em salsichas, marinadas e recheios. Pode ser considerada como um substituto do louro. O seu chá também é ótimo, e faz bem à azia, bronquite, catarro, diabetes, diarreia e é um digestivo eficaz.

Cuidados de Cultivo do Salva
A Salva, ou Sálvia prefere locais temperados e ensolarados, no entanto é bastante resistente ao frio e até a geadas. Produz folhas todo o ano.
A Salva tolera a secura, apenas necessita de regas controladas (quando o seu composto estiver bastante seco), sendo que não carece de muita água. Quando na presença de excesso de água no solo, as suas raízes tendem a apodrecer rapidamente, levando à morte súbita da planta. O seu cultivo na horta, juntamente com outras espécies, repele uma série de pragas, entre as quais a borboleta-branca da couve. Necessita de ser podada periodicamente de forma a prevenir o envelhecimento precoce e estimular novos rebentos.
As folhas da Salva devem ser colhidas logo no início da floração da planta, devendo-se fazê-lo nos horários mais frescos do dia.

Temperatura aconselhável para esta planta: Suporta temperaturas entre os 3°C e os 23°C.